84% dos municípios paraenses não têm data para retorno às aulas

Redação Por: Redação

Educação Novidades

Publicado em 16/10/2020 12:09h

84% dos municípios paraenses não têm data para retorno às aulas

Foto reprodução: Diário Online. 

A maioria dos municípios do Pará não têm data prevista para o retorno das aulas presenciais em suas redes municipais de ensino. Foi o que apurou um levantamento realizado no mês passado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM). Pelo menos 71% das prefeituras paraenses consultadas sobre a previsão de retorno responderam não ser possível retomar as aulas presenciais neste ano, 84,2% afirmaram não ter data definida para o retorno das atividades presenciais na rede municipal de ensino, e apenas 10,5% já têm data definida para reabertura das escolas. Em todo o Brasil esse quadro se repete: são 5.570 municípios dos quais 3.988 foram consultados e 84,2% afirmaram que não têm data definida para o retorno das atividades presenciais na rede municipal de ensino.

Nos territórios que responderam à sondagem realizada pela CNM, vivem 14,6 milhões de alunos atendidos por redes municipais de ensino, que representam 63,3% das matrículas nesse segmento no país. A Confederação acentua que “decidir pela não retomada das aulas não representa uma posição omissa em relação à garantia do ano letivo, ao contrário, indica uma postura responsável e cautelosa do gestor, em razão da preocupação com o aumento da disseminação do vírus”. Mas o que o levantamento deixou claro é que maioria dos gestores entrevistados não se sente seguro para retomar as aulas em suas cidades ainda neste ano.

A pesquisa apontou que em 84,2% do total de redes municipais de ensino paraenses pesquisadas estão oferecendo atividades pedagógicas não presenciais aos estudantes durante o fechamento das escolas, tanto da educação infantil quanto do ensino fundamental, embora 13,2% ainda não tenha definido ações para continuidade das atividades de forma remota.

Informações:Diário Online 

Comentários

Deixe seu comentário abaixo sobre esta notícia:

É Notícia Capim - Blog de Notícias